Você está aqui
Home > Dicas de sucesso > Dependência em Tecnologia: A internet Pode te Viciar e Afetar o Cérebro

Dependência em Tecnologia: A internet Pode te Viciar e Afetar o Cérebro

Dependência em tecnologia

Embora a internet tenha revolucionado o modo como consumimos informações, seja uma porta aberta ao conhecimento e facilite muito nossa vida, por outro lado, se não soubermos lidar de maneira saudável com esta ferramenta podemos desenvolver quadros preocupantes de dependência, feito uma droga. Além disso, o uso abusivo desta tecnologia influi diretamente em nosso cérebro, podendo deixar nosso conhecimento raso e fragmentado.

Como toda dependência, o vício em tecnologia propicia males à saúde e bem-estar das pessoas, prejudicando desde áreas do cérebro como o relacionamento interpessoal. Se você já não vive mais sem seus aparelhos tecnológicos é bom dar um breque e desintoxicar um pouco. Que tal um passeio ao parque? Confira algumas situações que podem indicar o vício e algumas dicas para driblar este quadro.

Vício em redes sociais

Não pense que o tal vício por usar o Facebook e outras tantas plataformas online de relacionamento seja uma exclusividade de adolescentes ou crianças. Muitos adultos sofrem também deste comportamento adicto moderno que pode causar danos em seus relacionamentos pessoais e profissionais.

Como cada vez mais nosso trabalho e entretenimento têm na figura do computador e internet nossas principais ferramentas, muitas vezes é difícil estabelecer os limites daquilo que é saudável ou não. Neste caso, é preciso usar o bom senso.

Se você deixa de sair com as amigas, para ficar na internet, se você sai com suas amigas, mas fica o tempo todo mandando SMS ou mensagens pelo Facebook, não consegue se desligar do smartphone e leva o dito cujo para o banheiro até na hora de tomar banho, o negócio tá feio.

O pensador Nicholas Carr, autor do livro The Shallows- What Internet is Doing to Our Brains, atribui à internet algumas mudanças provocadas no nosso cérebro e chama a atenção para tal problemática.

Pensamento fragmentado em detrimento de uma reflexão mais filosófica e introspectiva, o imediatismo, rapidez e superficialidade, entre outras características, são características relacionadas ao uso exagerado da internet, segundo o escritor.

Este vídeo do portal UOL Mais aborda o assunto do vício em internet, veja: http://mais.uol.com.br/view/x683jtbh561t/entenda-o-vicio-em-internet-04024E1A346AE4894326?types=A&.

Para desencanar da web e manter seu cérebro e vida off-line saudável

Veja como você, querida leitora, pode equilibrar sua vida online e off-line e não ser mais uma vítima da era digital:

  • Hora certa para checar o e-mail, Twitter e afins

Que tal esperar acumular alguns e-mails e mensagens, para ver tudo de uma só vez? Você não interrompe suas atividades, melhora sua produtividade e evita aquela ansiedade e estresse de ficar olhando de minuto a minuto a caixa de entrada do e-mail.

  • Ar puro 

Desconecte e vá dar uma volta no parque, sinta o frescor de um ambiente arborizado. Tal gesto proporcionará uma melhora cognitiva considerável e tirará a tensão.

  • Livro físico

E-book é legal, mas se você largar os livros de papel, pode se dar mal. O livro físico é capaz de trabalhar com partes do cérebro que o ambiente digital não atinge. Varie suas fontes de informação, escute rádio também. Diversificando as fontes de informação, o cérebro não perderá nos aspectos criativos, da reflexão e imaginação.

Deixe uma resposta

Top